La investigación en sentido estricto producida en brasil. Análisis de una década de la lectura en la lengua inglesa.

Iremar Sebastião dos Reis

Resumen


Objetivo. En un trabajo llamado "Estado del Arte" recopilación de investigaciónes (tesis de doctorado y tesis de maestrias) producidos en Brasil, en las Universidades Federales entre 2001 y 2011; este artículo es un extracto de mi tesis doctoral, en el que tratamos de conocer mejor los temas que más llaman la atención de los
investigadores en la enseñanza de la lectura en el idioma Inglés en nuestro país.

Método. Investigación cualitativa bibliográfica, documental ejecutada y metodología descriptiva de la literatura académica y científica en la enseñanza de la lectura en inglés.

Resultado. Los resultados del análisis mostraron el diseño de interacción y el modelo de lectura interactiva como una de las favoritas de los investigadores a la hora de proponer el marco teórico para guiar su trabajo, apartándose de la investigación de campo, ya que la mayoría de estos investigadores encontraron que en la práctica de aula, en otros maestros, predomina la concepción estructuralista y modelo de lectura en el proceso decodificativo. 


Palabras clave


estado da arte; ensino de leitura; língua inglesa.

Texto completo:

PDF

Referencias


Almeida, J. 2009. O professor de língua estrangeira em formação. Campinas: Pontes, 2009.

Batista, F. 2002. Investigating EFL Reading Strategies using think-aloud protocols. 298

f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal Fluminense, 2002.

Brandão, Z; Baeta, A & Rocha, A. 1986. Evasão e repetência no Brasil: a escola em questão. Rio de Janeiro: Dois Pontos.

BRASIL. 1998. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental - língua estrangeira. Brasília: MEC/SEF.

Brzezinski, I. 2006. Formação de profissionais da educação (1997-2002). Coordenação e organização: Iria Brzezinski. Colaboração: Elsa Garrido. Brasília: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

Camilo, R. 2006. Leitura e compreensão de textos em língua inglesa: o papel do conhecimento prévio sobre o assunto. 2006. 206f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Uberlândia.

Cereja, W & Magalhães, T. 2000. Texto e interação: uma proposta de produção textual a partir de gêneros e projetos. São Paulo: Atual.

Coracini, M. 2005. Concepções de Leitura na Pós-modernidade. In: LIMA, Regina Célia de Carvalho Paschoal. (Org.). Leitura: múltiplos olhares. São Paulo: Mercado de Letras.

Coracini, M. 2010. O jogo discursivo na aula de leitura: língua materna e língua estrangeira. Campinas: Pontes.

Dell’isola, R. Leitura: inferências e contexto sociocultural. Belo Horizonte: Formato Editorial, 2001.

Eckert-hoff, B. 2002. A leitura na aula de língua estrangeira: o que dizem os professores. Trabalhos em linguística aplicada, Campinas, v. 40, p. 29-43, jul./dez.

Ferreira, N. 2002. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, ano 23, n. 79, p. 257-272, ago.

Goodman, K. 1970. Reading: a psycholinguistic guessing game. In: GUNDERSON, Doris V. Language & reading: an interdisciplinary approach. Washington: Center for Applied Linguistics.

Jamet, É. 2000. Leitura e aproveitamento escolar. Trad. Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Edições Loyola.

Kato, M. 1985. O aprendizado da leitura. São Paulo: Martins Fontes.

Kleiman, A. 2001. Leitura, ensino e pesquisa. Campinas: Pontes.

Leffa, V. 1996. Aspectos da leitura: uma perspectiva psicolinguística. Porto Alegre: Sagra - DC Luzzatto.

Leffa, V. 2006. A aprendizagem de línguas mediada por computador. In: LEFFA, Vilson José. (Org.). Pesquisa em linguística aplicada: temas e métodos. Pelotas: Educat.

Machado, M. 2010. Compreensão de leitura: o papel do processo inferencial. Anápolis: UEG.

Marques, M. 2011. Leitura em aulas de inglês com o gênero reportagem. 2011. 149f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino, Universidade Federal de Campina Grande.

Mascia, M. 2005. Leitura: uma proposta discursivo-desconstrutivista. In: LIMA, Regina Célia de Carvalho Paschoal. (Org.). Leitura: múltiplos olhares. São Paulo: Mercado de Letras.

Mattar, M. 2010. A construção do processo de leitura em língua inglesa do gênero tirinhas em quadrinhos no 7º Ano do ensino fundamental. 189f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Acre.

Moita, L. 1996. Oficina de linguística aplicada. São Paulo: Mercado de Letras.

Nunes, P. 2002. O uso de estratégias e sua contribuição para a Leitura de Textos em Inglês. 156f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal Fluminense.

Nuttall, C. 1996. Teaching reading skills in a foreign language. Hong Kong: Macmillan Heinemann ELT.

Rigueira, A. 2005. Os phrasal verbs e a construção de sentido em textos de língua inglesa. 170f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal Fluminense.

Rodrigues, L. 2008. Gêneros textuais acadêmicos e ensino da língua inglesa: um caminho para a motivação e a autonomia. 174f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras-Linguística, Universidade Federal do Pará.

Sabota, B. 2002. Leitura em língua inglesa: a resolução colaborativa de exercícios de compreensão textual. 176f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística, Universidade Federal de Goiás.

Santana, L. 2009. Letramento e ensino de inglês: estratégias para o desenvolvimento de leitura, escrita e oralidade em sala de aula. 120f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística, Universidade Federal da Bahia.

Santos, C. 2009. A relevância da memória na aprendizagem de língua estrangeira: apreensão e retenção das ideias contidas no texto. 101f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Pernambuco.

Santos, E. 2002. Aquisição de vocabulário através da música. 148f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal Fluminense.

Silva JR, L. 2009. Erro de leitura das vogais do inglês americano como língua estrangeira pelos falantes do português do Brasil: das redes de ensino estadual, particular e universidades. 105f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal da Paraíba.

Souza, A. 2011. Mapeando a esperança: um levantamento das experiências no processo de aprendizagem de língua inglesa. 139f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós- Graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal de Minas Gerais.

Widdowson, H. 1991. o ensino de línguas para a comunicação. Campinas: Pontes.




DOI: http://dx.doi.org/10.22490/25391887.1453

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.