Astronomía en la escuela: una investigación del juego de construcción de constelaciones.
PDF

Palabras clave

Astronomía
constelaciones
constelaciones de construcción del juego.

Cómo citar

Silva Ama, A. da, Caixeta, J. E., & de Brito, P. E. (2015). Astronomía en la escuela: una investigación del juego de construcción de constelaciones. Revista De Investigaciones UNAD, 14(2), 37 - 53. https://doi.org/10.22490/25391887.1454

Resumen

Esta investigación tuvo como objetivo conocer las concepciones que los estudiantes del sexto grado tienen acerca de las constelaciones creadas por ellos a partir del juego de construcción. Se realizó una encuesta cualitativa. La mayoría de ellos entienden la constelación como el conjunto de estrellas, los demás estudiantes la entienden como el cielo o como una sola estrella. La investigación demostró que el uso del juego de construcción de constelaciones fue útil para identificar los conceptos que los estudiantes tenían sobre las constelaciones. A partir de esta identificación en el juego, que surge al analizar las imágenes y narraciones, es posible que los maestros de educación básica ejecuten acciones pedagógicas que fomenten la enseñanza de conceptos de astronomía.

https://doi.org/10.22490/25391887.1454
PDF

Citas

Afonso, G. sd. As Constelações Indígenas Brasileiras. Observatórios Virtuais.Programas Educacionais Telescópios nas Estrelas. Disponível em: <http://www.telescopiosnaescola.pro.br/indigenas.pdf>. Acesso em: 11 abr 2014.

Afonso, G. 2006. Mitos e Estações no Céu Tupi-Guarani. Scientific American Brasil, Edição Especial: Etnoastronomia, v. 14: 46-55.

Afonso, G. 2009. Astronomia Indígena In: Reunião Anual da SBPC, 61. Manaus, Anais. Manaus: SBPC.

Amador, A. 2013. Um estudo sobre constelações criadas por alunos do ensino fundamental. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Naturais)- Faculdade UnB Planaltina. Planaltina.

Caixeta, J. 2006. Guardiãs da Memória: tecendo significações de si, suas fotografías e seus objetos. Tese (doutorado), Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília.

Caixeta J. 2012. Sobre formação de conceitos, construção de conhecimento e jogos. Texto não publicado. Faculdade UnB de Planaltina, Universidade de Brasília, Planaltina.

Centro de Divulgaçâo da Astronomia. 2000. A esfera celeste. Disponível em: http://www.cdcc.sc.usp.br/cda/aprendendo-basico/esfera-celeste/esfera-celeste.htm.Acesso em: 6 de mai. 2014.

Clávia, A. 2010. Conhecendo as constelações: O que é constelação. Disponível em:http://www.observatorio.ufmg.br/dicas13.htm. Acesso em: 14 de abr. 2014.

Costa, F. 2009. A Constelação de Touro. UFMG – Observatório astronômico Frei Rosário. Disponível em: http://www.observatorio.ufmg.br/dicas10.htm. Acesso em: 14 de abr. 2014.

Costa, J. 2000. As 88 maravilhas do céu. Astronomia no Zênite. Disponível em: http://www.zenite.nu?88maravilhas. Acesso em: 15 abr. 2014.

Departamento de Astronomia da UFRGS. 2009. Novo hipertexto do OEI: Constelações. Disponível em: http://www.if.ufrgs.br/oei/. Acesso em: 09 de abr. 2014.

Fares, E.; Martins, K. ; Araujo, L. & Filhos, M. 2004. O universo das sociedades numa perspectiva relativa: Exercícios de etonoastronomia. Revista Latino-Americana de Educação em Astronomia - RELEA, n. 1: 77-85.

Fávero, M. & Mello, R. 1997. Adolescência, maternidade e vida escolar: a difícil conciliação de papéis. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 13 (1): 131-136.

Filho, J. & Germano, A. 2007. Disciplina Astronomia: Contemplando o céu. Natal, RN: EDUFRN.

Gancho, C. 1991. Como Analisar Narrativas. São Paulo: Ática

International Astronomical Union. 2014. The Constellations: IAU and the 88 Constellations. Disponível em: http://www.iau.org/public/constellations/. Acesso em: 14 de abr. 2014

Livi, S. 1987. Abra sua janela para o céu. Caderno Catarinense de Ensino de Física. Florianópolis, 4 (3):158.

Mariuzzo, P. 2012. O céu como guia de conhecimentos e rituais indígenas. Cienc. Cult. [online],64 (4): 61-63.

Mourão, R. 2001. O livro de ouro do universo. 4. Ed. Rio de Janeiro: Ediouro.

Pacific Science Center. 2003. Lesson 1: Create a Constellation. Astro Adventures. Disponível em: https://journeyspace2.wikispaces.com/file/view/astro_ad_constellation.pdf. Acesso em: 14 de abr. 2014.

Penn, G. 2002. Análise semiótica de imagens paradas. In Bauer, M. W. & GASKELL, G.(eds). Pesquisa qualitativa com texto: imagem e som: um manual prático. Petrópolis/RJ: Vozes.

Rees, M. 2008. As constelações. Enciclopédia ilustrada do universo: As constelações. São Paulo, Vol 4: 348-349, 2008.

Rego, T. 2003. Desenvolvimento e Aprendizagem. In Ofício de Professor: Aprendermais para ensinar melhor. Programa de Aprendizagem para professores dos anosiniciais da educação básica. Fundação Victor Civita. São Paulo.

Santos, J. 2011. Proposta de ensino em astronomia no ensino fundamental – Sistema Solar. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Naturais)-Faculdade UnB Planaltina. Planaltina.

Vygotsky, L. 1999. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes.

Xavier, R. 2013. A contextualização e o ensino de astronomia: uma análise de oficinas do projeto escola nas estrelas. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em Ciências Naturais)- Faculdade UnB Planaltina. Planaltina.

Creative Commons License
Esta obra está bajo licencia internacional Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0.

Derechos de autor 2016 Revista de Investigaciones UNAD

Detalle de visitas

PDF: 127
Resumen: 264