Supervisión y colaboración. Vias para promover la reflexión y desarrollo personal, profesional, contextual y sistémico.

Matilde da Conceição Afonso Neto, António Pedro Costa

Resumen


En este artículo son presentados los resultados de un estudio de investigación llevado a cabo bajo la tesis de maestría en educación en la supervisión de especialización. Resulta imperativo relacionar dos conceptos, la supervisión y la colaboración. Estos se extienden como herramientas y prácticas en muchos campos sociales. En este artículo se busca profundizar en los conceptos teóricos y se realizó el análisis de los datos utilizando la técnica de análisis de contenido. La técnica de recolección de datos fue la observación participante. Encontramos que los profesores son los desarrolladores humanos, lo que implica que tienen la prerrogativa de fomentar transiciones ecológicas dentro de la comunidad educativa.


Palabras clave


supervisión de colaboración; práctica pedagógica; reflexión; desarrollo.

Texto completo:

PDF

Referencias


Alarcão, I. 1996. Formação Reflexiva de Professores. Estratégias de Supervisão. Porto: Porto Editora.

Alarcão, I. 2009. Formação e Supervisão de Professores: uma nova abrangência. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, 08, 119-128. [online] [consultado em: 13/10/2015]. Disponível em http://sisifo.fpce.ul.pt.

Alarcão, I. 2014. “Dilemas” do jovem investigador. Dos “dilemas” aos problemas, In Costa, A. P., Neri de Souza, F. & Neri de Souza, D. Investigação Qualitativa: Inovação, Dilemas e Desafios (Org.). Investigação Qualitativa: Inovação, Dilemas e Desafios. Oliveira de Azeméis: Ludomedia, pp. 103-124.

Alarcão, I. 2002. Escola Reflexiva e o Desenvolvimento Institucional - Que Novas Funções Supervisivas? In Formosinho (org.), A Supervisão na Formação de Professores I - Da Sala à Escola. Porto: Porto Editora, pp. 217-237.

Alarcão, I. & Canha, B. 2013. Supervisão e Colaboração Uma Relação Para o

Desenvolvimento. Porto: Porto Editora.

Alarcão, I.; Leitão, A. & Roldão, M. 2009. Prática pedagógica supevisionada e

feedback formativo co-construtivo [Versão eletrónica]. Revista Brasileira Formação de Professor, (3), 10- 23.

Alarcão, I. & Roldão, M. 2008. Supervisão. Um contexto de desenvolvimento profissional dos professores. Mangualde: Edições Pedagogo.

Alarcão, I. & Sá-Chaves, I. 1994. Supervisão de professores e desenvolvimento humano: uma perspetiva ecológica. In Tavares, J. (Ed.) Para Intervir em Educação. Contributos dos Colóquios CIDInE. Aveiro: Edições CIDInE, pp. 201-232.

Alarcão, I. & Tavares, J. 1987. Supervisão da Prática Pedagógica. Uma Perspetiva de Desenvolvimento e Aprendizagem. Coimbra: Almedina.

Amado, J. 2014. A Formação em Investigação Qualitativa: Notas para a Construção de um Programa. In COSTA, A. P., NERI DE SOUZA, F. & NERI DE SOUZA, D. (Org.). Investigação Qualitativa: Inovação, Dilemas e Desafios. Oliveira de Azeméis: Ludomedia, pp. 39-62.

Ary, D.; Jacobs, L. & Sorensen, C. 2010. Introduction to research in education (8th ed.). Belmont: CA Wadsworth/Thomson Learning.

Bardin, L. 2004. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70. (3ª Ed.).

Bogdan, R. & Biklen, S. 1994. Características da investigação qualitativa, In Investigação qualitativa em educação: uma introdução à Teoria e aos métodos. Porto; Porto Editora.

Bronfenbrenner, U. 1979. The Ecology Human Development: Experiments by Nature and Design. Harvard University Press. Cambridge, Machachussets.

Costa, A. , Loureiro, M. & Reis, L. 2014. Do Modelo 3C de Colaboração ao Modelo 4C: Modelo de Análise de Processos de Desenvolvimento de Software Educativo. Revista Lusófona de Educação, (27), pp. 181 – 200.

Denzin, N. & Lincoln, Y. 2006. Introdução: A disciplina e a prática da pesquisa

qualitativa In: Denzin, N. K. & Lincoln, Y. S. Planejamento da pesquisa qualitativa – teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, p.15 - 42.

Denzin, N. & Lincoln, Y. 2006. Planejamento da pesquisa qualitativa – teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, p.367- 388.

Dewey, J. 1968. Experience and education. Nova Iorque: Macmillan Publishing

Company.

Jacobs, A. & Sorensen, L. 2010. Introduction to research in education (8thed). Belmot, CA: Wadsworth/Thomson Learning.

Lessard-Hébert, M.; Goyette, G. & Boutin, G. 2008. Investigação Qualitativa –

Fundamentos e Práticas. Lisboa: Instituto Piaget, (3ª Ed).

Lincoln, Y. & Guba, E. 1985. Naturalistic Inquiry. Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

Moreira, M. 2001. A Investigação- Ação na formação Reflexiva do Professor Estagiário de Inglês. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional.

Morris, P. 1998. The ecology of developmental processes, in w. damon e r. m. LERNER (EDS.), Handbook of Child Psychology: Vol 1: Theorical Models of Human Development. New York: Wiley, pp. 993-1028.

Neri de Souza, F.; Costa, A. & Moreira, A. 2011. Análise de Dados Qualitativos

Suportada pelo Software webQDA. [Online]. [CD-ROM, ISBN: 978-972-98456-9-7]. 13 (5). Disponível em https://www.webqda.com/wp_site/wp-content/uploads/2012/06/ artigoChallanges2011.pdf.

Neto, M. & Costa, A. 2015. A responsabilidade social do contexto escolar face aodesenvolvimento humano. In Costa, A. P. & Linhares, R. N. (Eds.), 4º Congresso Ibero-Americano em Investigação Qualitativa e 6º Simpósio Internacional de Educação e Comunicação (pp. 460 – 466). Aracaju: Ludomedia.

Oliveira-Formosinho, J. 2002. A supervisão na Formação de Professores II Da

Organização à Pessoa. Porto: Porto Editora.

Pacheco, J. 1995. O pensamento e a ação do professor. Porto: Porto Editora.

Pajak, E. 2008. Supervising Instruction: Differentiating for teaching for teacher success (3rd ed.) Norwood. MA: Cristopher Gordon.

Richards, J. & Farrell, T. 2005. Professional Development for Language Teachers: Strategies for Teacher Learning. Cambridge Language Education; disponível em: http://assets.cambridge.or/97805218/49111/sample/97805218/49111ws.pdf

Roldão, M. & Alarcão, I. 2010. Supervisão: Um contexto de desenvolvimento profissional dos professores. Mangualde: Edições Pedagogo. (2ª Ed.).

Santos, B. 2007. Para além do Pensamento Abissal: Das linhas globais a uma ecologia de saberes, Revista Crítica de Ciências Sociais, 78, 3-46.

Sergiovanni, T. & Starratt, R. 2002. Supervision: A Redefinition. 7th edition. Boston, MA: McGraw-Hill.

Serrano, G. 2007. Investigación cualitativa. Retos e interrogantes (4ª ed.). Madrid: Editorial La Muralla.

Schön, D. 1983. The Reflective Practitioner. How professionals think in action. London: Temple Smith, 1983.

Schön, D. 1987. Educating the reflective practitioner. Disponível em: http://educ.queensu.ca/~russellt/howteach/scon87.htm.

Shulman, L. 2004. The wisdom of practice: essays on teaching, learning, and learning toteach.USA: Jossey-Bass.

Sullivan, S. & Glanz, J. 2009. Supervision that improves teaching and learning. Thousand Oaks, CA: Corwin.

Thompson, S. & Thompson, N. 2008. The Critically Reflective Practitioner. Basingstoke: Palgrave Macmillan.

Waite, D. 1995. Rethinking Instructional Supervision: Notes on its language and Culture. London: The Falmer Press.

Zepeda, S. 2007. Instructional Supervision Applying Tools and Concepts. Larchmont,New York, Eye on Education.




DOI: http://dx.doi.org/10.22490/25391887.1460

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.